segunda-feira, 3 de maio de 2010

Ego




"Ego is like a room of your own, a room with a view with the temperature and the smells and the music that you like. You want it your own way. You'd just like to have a little peace, you'd like to have a little happiness, you know, just gimme a break. But the more you think that way, the more you try to get life to come out so that it will always suit you, the more your dear of other people and what's outside your room grows. Rather than becoming more relaxed, you start pulling down the shades and locking the door. When you do go out, you find the experience more and more unsettling and disagreeable. You become touchier, more fearful, more irritable than ever. The more you try to get it your way, the less you feel at home."
Pema Chodron

3 comentários:

hfm disse...

Perfect.

Marta disse...

All about us!

Fm-Ra disse...

Talvez nos sintamos mais estranhos, estrangeiros, no mundo, estrangeirados do mundo, fora, quanto mais tentamos ser à nossa maneira, fazer à nossa maneira, ser como nós, sermos nós, impormo-nos sobre a realidade, o nosso ego sobre a realidade, o nosso querer, vontade.

Talvez seja uma lufada de ar fresco quando começamos a agir e a viver desta forma, de acordo com os nossos princípios, como queremos, como que alienados de tudo o mais, mas depois torna-se uma prisão, aquilo que antes julgármos ou que era uma libertação.

Quebram-se laços de comunicação, vive-se no solipsismo, o que julgáramos aberto encontra-se, é, fechado, fechado em si mesmo, um grande pavilhão, o grande e tão pequeno, ínfimo pavilhão do ser, a alma, da alma, o eu, e com tudo isto, nós, que pensávamos ser boa a escolha, escolher, e queríamos tudo à nossa maneira, queremos agora um pouco de paz, não queremos mais pintar o céu.

Abraço.