quinta-feira, 31 de maio de 2007

Êxtase


Clique na fotografia para aumentar as suas dimensões.
Fotografia do mês da National Geographic. A palavra 'êxtase', aliás como 'existência', significa literalmente "estar fora". Não poderia haver melhor imagem do que esta para expressar este sentimento. Fotografia de Paul Nicklen.

Substâncias


Fotografia de Charlotte Hedges tirada no Nepal (Khumbu).

quarta-feira, 30 de maio de 2007

Substâncias


Clique na image para aumentar as suas dimensões. Vale a pena esse esforço suplementar...
Fotografia tirada em 1983 nas ilhas Hawaii. Infelizmente não sei o nome do fotógrafo, mas sei que esta forma de lava é conhecida através da designação de "Pahoehoe".

Substâncias


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
Continuando a minha saga pelas múltiplas substâncias que dão corpo e vida ao que somos, aqui vos apresento uma fotografia de Jessdians2 que encontram na sua página da Webshots.

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Já agora...


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
...também não me importava nada de estar aqui/ali... Lago Mapourika na Nova Zelândia.

domingo, 27 de maio de 2007

Irlanda


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
Não vos posso garantir que esta fotografia seja efectivamente da Irlanda - nem sei mesmo o nome do fotógrafo - mas o cenário apresentado não é muito diferente daquele que se pode surpreender em largas zonas daquela ilha, terra de fadas e de mistérios, onde a sabedoria é simbolizada pelo salmão (afinal ele sabe sempre retornar às suas origens...).

sábado, 26 de maio de 2007

Lulu on the Bridge


"Acredito firmemente que Izzy vive os acontecimentos da história, que o sonho não é uma mera fantasia. No final, quando ele morre, é um homem diferente daquele que era no início. De um certo modo conseguiu redimir-se. Senão, como compreender a presença de Celia na cena final?" Paul Auster
A rever agora, em DVD, a preço de ocasião...

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Teste de Personalidade


Que tal fazer o teste de personalidade sugerido pelo excelente blog A Irmandade do Macaco?
Para essse efeito, vá ao seguinte site: Imagini e obtenha o seu ADN visual. Confessso que fiquei impressionado com a precisão dos comentários (bons e maus). Mas este nosso espanto deve ser comum quando "se vai à bruxa". Calculo...:-)

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Orlan


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões

terça-feira, 22 de maio de 2007

História a não perder



Se tiver dificuldades em ver ou ouvir, clique AQUI.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Cervantes


"Compreender com Cervantes o mundo como ambiguidade, ter de enfrentar, em vez de uma única verdade absoluta, um monte de verdades relativas que se contradizem (verdades incorporadas em ego imaginários chamados personagens), possuir pois como única certeza a sabedoria da incerteza, exige uma força não menos grande (do que a de Descartes)."
Milan Kundera, A Arte do Romance

domingo, 20 de maio de 2007

Ansel Adams


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões. Vale a pena esse esforço suplementar...

sábado, 19 de maio de 2007

Ansel Adams

All together now!


Sobre esta fotografia, clicar AQUI.

Rei Herodes


Acho que esta notícia já deve conhecida de todos, mas importa registar que o túmulo do rei Herodes foi recentemente descoberto em Israel. Se me permitem uma nota irónica sobre um assunto tão sério, pergunto-me como é possível este "monte" ter passado despercebido! Provavelmente este monte estava soterrado num monte maior... Para mais informações, clique AQUI.

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Lalibela



A imagem dominante na Europa da chamada África subsaariana, até meados do século XX, esteve claramente ao serviço de interesses coloniais, assumidos, aliás, sem qualquer pudor. Daí a visão tradicional de que essa zona de África era desprovida de civilização (qualquer que seja a definição atribuída a este conceito). Não existiriam cidades nem formas de escrita, apenas uma zona "selvagem" e "primitiva" em que o grau de progresso se mediria pelo número de palhotas. Hoje sabemos que essa imagem é completamente falsa. E gostaria de dar um exemplo: o reino de Lalibela que foi dominante nos séculos XII e XIII na Etiópia ("Lalibela" é, aliás, actualmente uma cidade sagrada etíope). Gebre Mesqel Lalibela que reinou na Etiópia durante essa época decidiu construir uma "Nova Jerusalém", após a "velha Jerusalém" ter sido conquistada pelo Islão. Adepto de um cristianismo próximo da ortodoxia copta, Lalibela dirigiu a construção de uma obra arquitectónica única que ainda hoje causa espanto e admiração. Pêro da Covilhã e o sacerdote Francisco Álvares são os primeiros portugueses e europeus a conhecerem a obra monumental de Lalibela. Como verão, as surpresas da África subsaariana não terminam por aqui...mas fica-nos uma questão óbvia, cuja resposta desconheço: o reino mítico cristão de Prestes João, situados algures a Oriente, terá algo a ver com esta realidade bem histórica da Etiópia?

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Nut, a deusa do céu




A primeira imagem representa o momento em que o deus Shu (o "ar"), o pai de Nut, separa a sua filha, a deusa do firmamento, de Geb (o deus masculino da Terra).
A segunda e a terceira imagem referem-se ao túmulo de Ramsés VI, onde se pode ver no tecto a imagem dupla de Nut. Dupla porque os egípcios acreditavam em dois mundos paralelos.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Missing Child


Click the photo of Madeleine to see a detailed picture.
"The photo clearly shows her distinctive right eye, where the pupil runs into the blue-green iris. If you are dialing from outside the UK then phone 0044 1883 731 336" or call your police station.
Although everyone in Portugal or in UK knows this case, I decided to post this photo because one in two readers of my blog lives outside these countries.
Click HERE for more information.

terça-feira, 15 de maio de 2007

O Céu que nos protege!


Imagem notável do planeta Júpiter. O termo "Júpiter"provém do latim (Iupiter) que deriva, por sua vez, de Diu-pater. Pater é fácil de traduzir porque ainda está presente nas palavras "pai" ou "padre". O "diu" é um caso de "dies" que, como o nosso "dia", significa a plena luz, o céu luminoso. Júpiter era, assim, o senhor dos céus, termo que lhe fica muito bem, mesmo em termos astronómicos. Na sua variante mitológica correspondia ao "pai dos deuses", visto que tanto "dia/céu" como "deus" eram termos equivalentes. Até agora ainda só consegui descobrir uma civilização em que o céu era feminino. Refiro-me naturalmente à civilização egípcia e à deusa Nut que cobria com o seu corpo protector o seu amante masculino (a nossa terra). Curiosamente, o corpo da deusa era geralmente representado, na mitologia egípcia, como um firmamento e não tanto como o céu ou mesmo como o Sol brilhante (Ré; Atum; Aton). Deste modo, os egípicos mostravam uma enorme confiança neste universo, pois como nos mostra o romance de Paul Bowles, O Céu que nos protege, a luminosidade permite literalmente obnubilar as trevas que nos rodeiam. E terminamos este post - que já vai longo - como uma questão infantil: por que razão existe um período nocturno? Com tantas estrelas que por aí andam :-), o firmamento deveria ser ainda mais brilhante do que o nosso dia. Já vi a resposta algures, mas já a esqueci...

segunda-feira, 14 de maio de 2007

As duas faces de uma mesma moeda


"O próprio Einstein, numa observação muito citada, traçou claramente a linha entre as frases cognitivas e proposições especulativas. "O mais incompreensível facto da Natureza é o facto de ela ser compreensível". Aqui podemos ver como eu pensante se intromete na actividade cognitiva, interrompendo-a" (Hannah Arendt, The Life of the Mind). E ainda bem que o faz...

domingo, 13 de maio de 2007

As Mulheres de Hitler


Desconfiança e curiosidade foram os primeiros sentimentos que senti em face deste livro, traduzido para português pela Editorial Estampa ("As Mulheres de Hitler"). Mas a curiosidade acabou por vencer - e ainda bem -, pois trata-se de um dos estudos mais sugestivos sobre a época nazi. Afinal mais interessante do que o próprio Hitler - que, como dizia Karl Kraus, não o fazia pensar em nada ("es faellt mir nichts eins") -, são as figuras femininas que o rodeiam. Habitualmente pensamos em duas: a fiel Eva Braun com quem Hitler casou pouco antes de ambos se suicidarem no bunker de Berlim e a "pátria alemã" (pois todos os ditadores gostam de proclamar o casamento sagrado com a Nação). Esquecemo-nos no entanto que, em torno de Hitler, estiveram figuras tão importantes como a realizadora Leni Riefenstahl, a inglesa Winifred Wagner (que durante longos anos dominou a vida artística em Bayreuth), a aviadora temerária Maria Reiter, a sobrinha de Hitler (Geli que se suicidou misteriosamente e que foi certamente um das grandes paixões do Fuehrer), Magda Goebbels (que só casou com Goebbels para poder estar sempre próxima da paixão da sua vida, leia-se o "tio Adolfo"), entre tantas outras. É gratificante confirmar o que sempre se intuiu: Leni Riefenstahl foi uma mulher de enorme carácter que nunca teve medo de dizer o que pensava. São vários os momentos em que Leni denuncia abertamente a Hitler o carácter racista do regime e foi provavelmente uma das poucas pessoas a fazê-lo sem que o ditador perdesse a cabeça (a mesma sorte não teve Henriette Schirach que denunciou em pleno Berghof o tratamento desumano dos judeus que tinha presenciado na Holanda).

sábado, 12 de maio de 2007

O Insulto como uma Bela-Arte

Gostei tanto deste livro...

que encomendei este outro...

E nada melhor do que um pequeno exercício!

Pignouf - pessoa pouco delicada
Egoïste - dispensa explicação!
Moule à gaufres - rosto cheio de bexigas (deriva da forma culinária para fazer coscorões, o "gaufrier")
Troglodyte - vive numa gruta
Polygraphe - autor que trata de tudo e, como tal, de nada.

Não pensem que estou irritado ou a insultar alguém. Quanto muito é o esboço de um auto-retrato...:-)

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Resposta a uma provocação

Em resposta ao desafio da Helena (Linha de Cabotagem)


(*) Um "meme" é um " gene cultural" que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma"

Sê a diferença que desejas ver no mundo Gandhi


e agora faço o mesmo desafio a (por ordem alfabética):

Botinhas
Ilha que nunca existiu
Irmandade do Macaco
Jóia de Família
Kitschnet

quinta-feira, 10 de maio de 2007

What is it like to be a cat?


Clique na fotografia para aumentar as suas dimensões.
Bem dizia António Damásio que as emoções são a alma tornada visível.

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Vergonha de ser português

O blog "O Canto de Pandora" denunciou (post de 9 de Maio) situações que se passaram recentemente em Beja e que nos fazem ter vergonha de ser português. Clique AQUI para saber mais. Esperemos que a recente discussão na Assembleia da República deste tipo de situações, discussão essa que resultou de uma petição nacional de cidadãos, nos faça tornar num país um pouco menos escandoloso e minimamente civilizado. Não é pedir muito...

Descoberta no Nepal


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
A National Geographic relata-nos a recente descoberta no Nepal de representações artísticas budistas que remontam ao século XII. Para mais informações, conferir AQUI.

terça-feira, 8 de maio de 2007

segunda-feira, 7 de maio de 2007

César Franck



Se tiver dificuldades em ver ou ouvir, clique AQUI.

Cena do filme Rosenstrasse da realizadora Margarethe von Trotta, onde se pode ouvir longamente excertos da bela sonata de César Franck, a sonata em Lá maior para violino e piano (1886). César Franck é um compositor belga, de origem alemã, cuja vida se desenrolou em França. Teve uma influência enorme na música dos finais do século XIX.

domingo, 6 de maio de 2007

Think with a heart


Leia o interessante artigo sobre o papel fulcral das emoções nos pensamentos. A ideia não é nova, mas voltou novamente a incendiar os espíritos. Leia AQUI.

Klimt


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
Quadro de Klimt ("Esperança") que se encontra no MoMA (Museum of Modern Art of New York). Escusado será dizer que o meu acesso internético ao museu continua vedado com o habitual IP que me é atribuído pela Netcabo.

sábado, 5 de maio de 2007

Por Belenos!!!






Clique nas imagens para aumentar as suas dimensões.
"Por Belenos", seria certamente a exclamação de Astérix ao contemplar esta jóia arquitectónica situada na zona histórica da Normandia. É o terceiro monumento histórico mais visitado de França - não é difícil adivinhar a Torre e o Palácio que ocupam os dois primeiros lugares... - e nasceu literalmente de um sonho.
Antes de ser a célebre Abadia, era o monte onde se encontrava o túmulo do deus gaulês Belenos, mais conhecido na mitologia irlandesa (também celta como a gaulesa) como Diancecht. É o "deus médico" dos Tuatha Dé Danann, célebre família mitológica da cultura celta. "Tuatha Dé Danann" significa, mais ou menos, os descendentes da Deusa Dana, a deusa primordial dos celtas (também conhecida por Dôn ou Danu, donde derivou o nome do rio Danúbio, assim como a designação de outros rios bem célebres da Europa). Certamente a raiz indo-europeia do termo Dana está ligada aos Danavas da mitologia védica. Em todas estas ramificações, encontra-se a mesma palavra: dom, dádiva. A deusa primordial celta, Dana, o dom primordial, está associada a quatro símbolos: a lança do deus Lug, o caldeirão do deus Dagda (lança e taça, isto faz-me lembrar outra coisa...), a espada de Nuada e a pedra de Fal (grita quando é pisada!). Lug, Dagda, Nuada são o "povo de Dana", os Tuatha Dé Danann, que chegaram durante a festa de Beltaine, dedicada a Belenos/Diancecht (festa que se realizava no primeiro dia de Maio, dia do Sol antes de ser do Trabalhador).
No século VIII, o bispo cristão, Santo Aubert de Avranches teve um sonho onde o anjo Miguel lhe ordenou a construção de um local de orações. E o bispo assim o fez, fazendo assim esquecer o Monte do Túmulo de Belenos, passando o local a ser conhecido como o Mont-Saint-Michel-au-péril-de-la-Mer. Só que o edifício construído incendiou-se durante uma batalha medieval em 1204. O rei francês Filipe II Augusto ordenou então a construção de uma abadia, a abadia do Mont-Saint-Michel. Esta "maravilha", como era popularmente conhecida, foi transformada em prisão (antes e depois da Revolução Francesa). Foi preciso a denúncia de Victor Hugo para que a prisão fosse definitivamente encerrada. E, assim, tornou-se naquilo que é ainda hoje em grande parte: um local turístico. Curiosamente, desde 1966, houve um renascimento religioso do local, com a presença, discreta mas permanente, de monges beneditinos e das Fraternidades Monásticas de Jerusalém. Inegavelmente uma das maravilhas do mundo, sempre ameçada pelo perigo do mar.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

A Maçã vai ficar Verde


Óptimas notícias! A Apple tomou a decisão pública de transformar os seus produtos informáticos (desde os iPods aos iComputadores) amigos do ambiente. Para mais informações, leia a notícia da Apple, "A Green Apple", AQUI. Sobre a mesma notícia, leia igualmente a posição da organização ambientalista Greenpeace. Já agora, alguém me sabe dizer se as principais marcas do sistema Windows (Compaq, HP, Toshiba,...) também já tomaram idêntica posição?

quinta-feira, 3 de maio de 2007

quarta-feira, 2 de maio de 2007

A Dama e o Vagabundo


Cena inesquecível do filme de Walt Disney, Lady and the Tramp, de 1955. Confesso que só vi o filme recentemente, depois de ter levado o meu cão ao veterinário. A dado passo, este último diz-me que o cão lhe faz lembrar muito o "Vagabundo" (Tramp). Na altura estranhei o comentário, mais não seja porque ninguém gosta que chamem ao seu rafeiro (raça única, se preferirem) "vagabundo". Qual a minha surpresa quando peguei na capa do DVD da "Dama e do Vagabundo" e ali estava, focinho chapado, o meu rafeiro. E depois de ver o filme, percebi que o veterinário estava, na realidade, a elogiar o meu cão. Coração de ouro, livre como um pássaro, sempre pronto a ajudar os outros. O único senão do filme é poder criar a ideia de que os cães seriam muito mais felizes sem a companhia humana. O que me parece ser um erro. Os cães gostam realmente da companhia dos humanos e um cão vadio é um animal profundamente infeliz. Os cães, como espécie, tiveram a sua origem em lobos domesticados, há cerca de uns 10.000 anos. Ainda mantêm muitos comportamentos dos lobos, mas são claramente uma espécie cuja história é indissociável dos seres humanos. Um óptimo filme para quem gosta de cães...

terça-feira, 1 de maio de 2007

Oliveiras


Clique na imagem para aumentar as suas dimensões.
Este é um quadro notável de Van Gogh e que se encontra no MoMA. Só raramente tenho acesso, pela net, ao museu, o que significa que o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque decidiu vedar o acesso a todos aqueles que usam habitualmente a Netcabo entre Algés e Oeiras. Será que estou errado? Já escrevi ao museu a perguntar o que se passa... entretanto, a minha "vingança" continua e, assim, publico mais uma reprodução de um pintura que encontram no MoMA. E, já agora, Netcabo, um conselho: nunca se esqueça do comando mais divertido dos antigos Speccy: Randomize! Os IPs, naturalmente...