sábado, 25 de julho de 2009

Van Dog


Clique na tira de Van Dog para a ler em boas condições.

8 comentários:

Marta disse...

Um beijo e bom fim-de semana :)

nuno maltez disse...

Ofereço-te. Um texto serpentino. Já sei que não há-de ser muito bom mas é o que uma mente mediana ou medíocre arranja:

a serpente sem tempo gira em meu redor, por cima de mim, acaricio-a.

para a frente, para trás, move-se sem sentido em todos os sentidos.

plena de oculta comoção, encontrei-a na finistérrea e solitária praia do vento.

avistei-a ao longe, serpenteando ao meu encontro sob a atlântica maresia.

na praia de ninguém brincamos sós, unimo-nos na busca sem busca do imundo.

o nosso jogo ilusório, uma onda que vem para logo se esvair no nonada.

sou todo serpente, como a serpente: o nada que pode ser tudo, e este que só o pode ser.

amamo-nos nos nossos nuncas e nunca a eles, unidos libertamo-nos em luz para sempre.

nuno maltez disse...

Perdão, eu não me chamo a mim mesmo medíocre.

Bhixma disse...

Belo texto gnóstico!

nuno maltez disse...

Não sabia que era gnóstico. Gnóstico porquê? (vou pesquisar mais sobre isso)

Bhixma disse...

A serpente - com um sentido axiológico positivo - é o símbolo mais forte da Gnose. É fácil encontrar material sobre essa relação.

nuno maltez disse...

Fui à FNAC e não encontrei nada de jeito. Talvez procure um livro sobre réprteis, para entender a serpente. Mas também não tinham. não haverá nenhuma livraria que tenha livros sobre serpentes, seja a nível mítico ou biológico?

Obrigado e um abraço neste ponto de (des)encontro.

nuno maltez disse...

A serpente de que falo é a que assume todas as formas, que se liberta das peles e das formas, que é venenosa e com a qual podemos brincar entrando com ela num estado de amor/erotismo/jogo erótico. Não tem nada a ver com Cristo. Penso que os gnósticos são cristãos. A minha serpente é a que nos liberta do medo da serpente (venenosa) e das feras, e que vai para lá da coragem, nada tendo a ver com Cristo ou com a Bíblia. Até porque a minha interpretação do Génesis é que toda aquela história serve apenas para concluir que a mulher tem dores de parto e o homem tem de trabalhar a terra sota a sua vida, a mulher subjugar-se ao homem (visão machista mas que está no texto). A "minha" serpente é a da libertação e o gnosticismo parece-me outra prisão, repleta de mistérios e ocultismo. Por isso digo que quero um livro sobre mitologia dedicado exclusivamente à serpente e preferencialmente um de biologia, para compreendê-la como é de facto. Onde encontrá-los em Lisboa?