sábado, 9 de julho de 2005

Dia Gótico

O imaginário gótico está presente em múltiplas formas da narrativa contemporânea, sejam elas literárias ou cinematográficas. Por exemplo, apesar do Senhor dos Anéis pertencer ao género mitológico e fantástico, a sua recente interpretação fílmica tingiu o romance de Tolkien com cores claramente sombrias. O gótico está indissoluvelmente ligado ao Romantismo como movimento cultural. Se dúvidas existissem, bastaria pensar nas obras e contos de Byron, de Mary Shelley ou de Daphne du Maurier. Mas a escrita gótica remonta ao século XVIII, destacando-se a obra de Ann Radcliffe. Esta escritora nasceu a 9 de Julho de 1764 e os seus romances relatam-nos as aventuras de jovens perdidas em castelos sombrios. O carácter misógino do conto francês de Charles Perrault,O Castelo do Barba-Azul, na qual a jovem é uma mera "Pandora iluminista", cede o seu lugar ao cruzamento envolvente da candura e das trevas que se surpreende na obra desta escritora londrina.

1 comentário:

MRF disse...

Byron sem dúvida, Mary Shelley talvez, mas alguém leu Daphne du Maurier! Nem mesmo quem gosta de Hitchcock :( e eu gostei tanto de a ler em miúda.

Mas nunca li Ann Radcliffe [:( again]

Agora confesso que fico feliz por saber que alguém "destruiu" O Castelo do Barba Azul!