segunda-feira, 27 de junho de 2005

Cair no "lado a lado"

Joyce utiliza duas enigmáticas palavras na passagem que citei do Ulisses: "Stephen fechou os olhos para ouvir as suas botas triturar crepitantes detritos e conchas. Caminhas de qualquer modo sobre isso. Eu, passo a passo. Um muito breve espaço de tempo através de muitos breves tempos de espaço. Cinco, seis: o Nacheinander. Exactamente: e essa é a inelutável modalidade do audível. Abre os olhos. Não. Meu Deus! Se eu cair sobre um penhasco que está suspenso pela sua base, caio inelutavelmente pelo Nebeineinander!" Nacheinander (um após o outro) e Nebeneinander (lado a lado). Os termos são de Lessing, extraídos da sua célebre obra, Laokoon. "Um após o outro" refere-se às artes do tempo, a saber, a poesia; "lado a lado" visa as artes do espaço, as artes plásticas. Joyce pega nesses dois conceitos e brinca com a nossa relação com o tempo (audição) e com o espaço (visão).

1 comentário:

MRF disse...

Caro Professor (tem de ser), é um deleite vir aqui!