sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Ouro sobre Azul



Quadro do pintor catalão Joan Miró intitulado "O ouro do azul" (L'or de l'atzur, 1967). O MoMA de Nova Iorque vai inaugurar no dia de 2 Novembro uma exposição de "pintura e anti-pintura" dedicada a obras de Miró. Com efeito, Miró declarou em 1917 que queria "assassinar a pintura", inscrevendo-se, assim, nos diferentes movimentos de anti-arte/fim da arte que singraram no Modernismo. Salvo para aqueles que não gostam de Miro, esta declaração "assassina" é, no mínimo, irónica, visto que Miró é um dos maiores pintores de sempre. Uma curiosidade, julgo que pouco conhecida: Hergé, o autor de Tintin, considerava Miró o seu pintor preferido.

1 comentário:

Maísha disse...

eu dizia que não gostava do Miró. um dia, já há uns bons anos, o CCB dedicou-lhe uma grande exposição e uma amiga arrastou-me literalmente para a ir ver, dizendo que tinha a certeza que eu ía gostar. ainda me lembro da minha figura de boca aberta à frente dos quadros de onde não conseguia sair... não sei se foi isso o pior ou o entusiasmo do fim, quando falava a 3000 à hora sobre o que tinha acabado de ver!
as figuras saltavam dos quadros, foi como um diálogo e eu não percebo nada de pintura. a boca quase me sabia a tinta. é um pintor espantoso.