segunda-feira, 21 de maio de 2007

Cervantes


"Compreender com Cervantes o mundo como ambiguidade, ter de enfrentar, em vez de uma única verdade absoluta, um monte de verdades relativas que se contradizem (verdades incorporadas em ego imaginários chamados personagens), possuir pois como única certeza a sabedoria da incerteza, exige uma força não menos grande (do que a de Descartes)."
Milan Kundera, A Arte do Romance

1 comentário:

Maísha disse...

Ando a tentar incorporar essa ideia! Fantástico ler esta citação do Kundera!